15 de nov de 2011

TAMBORES

NINO BELLIENY

É fácil a leitura do ruído. De onde vem e como é feito. Buzinas, freadas, batidas, gritos, sirenes, algazarra. O silêncio não... requer mais prática e paciência. Uma interpretação só possível no uso do sentimento e da compreensão. Por exemplo: não há responsabilidade nossa no silêncio alheio, não deveria incomodar, no entanto, ao colocarmos nele, palavras, sons e significados, invariavelmente a tradução leva ao desagradável. Respeitar o silêncio ou ignorar-lhe. Ser vítima, não mesmo.

Nenhum comentário: