1 de nov de 2011

TÁBUAS FURADAS DA LEI

NINO BELLIENY

A falta de graça das piadas com a desgraça alheia.

A zombaria como forma de defesa

A pobreza de humor dos zorras totais, pânicos e cqcs

A pseudo-intelectualidade dos nomes do momento

A mesmice das propagandas

A rima sem poesia da maioria dos sucessos musicais

A celebração idioestática das celebridades instantâneas

A profusão imbecilizante de informações dispensáveis

A fofoca digitalizada

A carência espiritual disfarçada de agressividade

A ânsia de vitória a qualquer custo.

A velocidade em julgar, condenar e executar

A tristeza fantasiada para mais um feriado e final de semana

A cobiça convivendo com a angústia

As horas voando, a vida vazando e tão poucos

Admitindo o quanto devem mudar para serem

Apenas o que precisam ser.

Nenhum comentário: