7 de mar de 2012

TESTAMENTO

Nino Bellieny 
Nada de vergonha em dizer o sentido. Entrar de corpo inteiro na exposição dos sentidos. E ainda assim, quando mal interpretado, não inventar outro sentido. Deixar passar batido. Não ser abatido. Assumir a batida e o prejuízo. Chorar por dentro do juízo e lembrar que toda montanha já foi um grão de areia antes. Poder ser ambas as coisas: a lágrima e o riso. E também nada, se for preciso.

Nenhum comentário: